segunda-feira, 8 de novembro de 2021

cassetete na cintura e proteção divina: guardas patrimoniais de Parnaíba temem aumento da violênca

 

Eles fazem parte da equipe que guarda os bens municipais, mas fazem muito mais que isso.

Desde imobilizar flanelinhas com arma branca apartar briga em praças e recuperar materiais escolares furtados, esses guardas muitas vezes exercem a função da polícia militar, protegendo não só os bens municipais, mas os próprios munícipes. Apenas munido de um cassetete, muito desses profissionais se sentem intimidados, pois não tem como se defender em uma real ameaça nas ruas.

 

O aumento da violência preocupa quem - sem qualquer arma - trabalha na rua tentando manter a ordem.

Com o enorme aumento da violência em nossa cidade, muitos dizem que o dia se tornou sempre uma missão tensa, onde tudo pode acontecer. São pais de família, filhos, homens comuns que protegem e resguardam logradouros municipais apenas com um pedaço de madeira ou borracha como arma. 

 

Guardas municipais também se sentem intimidados.

Motoristas embriagados, moradores de rua entre outros geram conflitos no dia a dia, confusões que podem acabar em tragédia, como neutralizar esses atos violentos sem armas?

Nenhum comentário:

Postar um comentário